TEMPORADA ALEMÃ – PARTE 2

junho 19, 2009

eisenbahn[1]

Próxima parada a espetacular Eisenbahn, já conhecida aqui na parte sudeste pois esta sim é produzida em duas formas, o chopp e a cerveja, esta última encontrada nas melhores casas do ramo. Estava lotada a visitação, uma turma após a outra, lógico que entramos na fila e rapidamente fomos chamados, embora a moça que apresentou a produção fosse muito bem informada foi uma pena que não era o mestre cervejeiro que tutoriava a visita, daria mais charme e menos frieza ao passeio, mas a degustação foi maravilhosa, aliás foi a melhor cerveja e o melhor chopp que tomei na região. Igualmente degustamos diretamente do tonel final e foi simplesmente show, temperatura do produto 0ºC, e super cremoso.

Ao final da visita nos colocamos em uma mesa dentro de um pequeno e charmoso bar que igualmente fica em frente à fábrica e também tem motivos alemães em sua arquitetura, o chopp estava perfeito, abrimos o cardápio e nos deparamos com vários petiscos alemães, depois conto mais destes, tamém havia uma fina e saborosa linguiça hungara, e lá fomos nós para o teste drive de cervejas e petiscos. Como se tudo isso não fosse o bastante era dia dos namorados, chegou um casal tipicamente vestido, montou uma aparelhagem de som e deu início às canções típicas em ton acústico, claro que ficamos no local até a madrugada.

A parte igualmente triste da história é que a espetacular cervejaria também já foi comprada por uma das grandes e continuo na torcida para que não mudem o produto.

A Eisenbahn fabrica oito tipos de cerveja sendo eles, com 4,8% de teor alcoólico, a Pilsen, a Kölsh de aroma levemente frutado com 4 tipos de malte, a Pale Ale de cor âmbar com mais aroma lupulado, a Weinzenbier a base de trigo, originária do sul da Alemanha, a Dunkel escura do tipo lager e de baixa fermentação e ao contrário de muitas escurecida com maltes torrados ao invés de caramelo, já com maior teor alcoólico vem a Strong Golden Ale mais encorpada com origem belga, a Rauchbier desenvolvida com maltes defumados, a Weihnachts Ale igualmente originária da Bélgica e produzida na época das festas Natalinas, a Weizenbock que combina os sabores da Weizen com a Bock, ou seja escura à base de trigo e a Orgânica, primeira do tipo no país, produzida com produtos certificados, sem agrotóxicos ou fertilizantes sintéticos…..ufaaa!!!

Como o assunto é cultural gastronômico e matando a curiosidade de vocês, os acompanhamentos ideais para estes outros tipos de cerveja são os seguintes, a cerveja Kölsh é uma boa parceira para receitas mais delicadas tipo saladas e peixes leves, comidas japonêsas e frutos do mar, quanto aos queijos escolha o Chèvre, Brie e Camembert, já a Weinzenbier escolta pratos picantes como as culinárias mexicana, tailandêsa e indiana além dos queijos Boursin, Brie e Camembert, a Dunkel combina com partos de origem agridoce, presuntos defumados e preparações com base de funghi, seu sabor é melhor definido junto aos queijos duros como o parmesão, o Grana Padano e o Peccorino, a Strong Golden Ale se faz parceira dos frutos do mar e algumas iguarias mais pujantes, com os queijos do tipo Reblochon e os azuis Gorgonzola e Roquefort, a Rauchbier acompanha perfeitamente os maravilhosos charutos e os pratos a base de defumados, lógicamente os queijos da mesma categoria como o Provolone, a Weihnachts Ale se enamora melhor com assados como caças, carneiro e cabritos, perfeita para as ceias de final de ano, combina com a maioria dos queijos embora eu prefira degustá-la com os semiduros Gruyere, Emmental e Gouda, a Weinzenbock tem seu melhor sabor quando acompanha preparações mais encorpadas como o Goulash e pratos à base de temperos marcantes, com os queijos azuis Roquefort e Gorgonzola, por fim a Orgânica que por ser leve combina com os pratos mais delicados, queijos do tipo Boursin, Mozzarella de Búfala, Brie, Camembert entre outros.

Encerrando esta parte cervejeira no Blog é bom citar que a maioria destas cervejarias alemâs seguem a Lei da Pureza (Reinheitsgebot) que foi instituida em 1516 pelo Duque Guilherme IV da Baviera. Essa Lei determina apenas o uso de água, malte de cevada e lúpulo, proibindo o uso de produtos químicos e de outros cereais como milho e arroz. Seu objetivo é garantir a qualidade do produto servido. É considerado um dos mais antigos códigos de alimentos vigentes no mundo.

Na verdade o que mais combina com a cerveja é a boa compania….então Prost (um brinde à sua saúde)

Anúncios

TEMPORADA ALEMÃ – PARTE 1

junho 18, 2009

010501[1]HPIM0916[1]

Semana passada, no feriado, aproveitei para dar uma escapada e fui passar alguns dias na parte mais germânica do Brasil, a região de Joinville em Santa Catarina. Para quem não conhece fica aqui a dica, simplesmente lindo, é como se sentir com um pé na Europa, além da cidade acima citada ainda passei por Pomerode e Blumenau e aproveito este meu espaço para contar um pouco desta aventura gastronômica.

Como cúmplices o pessoal de Floripa, então já da para imaginar que o passeio foi repleto de bares e restaurantes. Começo por um dos produtos que sou mais fã, a cerveja. Visitamos algumas cervejarias e além de aprender um pouco mais sobre esta maravilhosa bebida aproveitamos várias degustações, uma verdadeira festa…..Prost.

A primeira visita foi na Schornstein, chegamos de última hora e a visitação já estava encerrada, como a educação é o ponto forte da região bastou uma pequena conversa para sermos recebidos pelo mestre cervejeiro que orgulhoso nos apresentou a fabrica e explicou todo o processo de sua preciosidade. Lugar impecávelmente limpo e organizado, aliás todas as cervejarias que visitamos. Foram nos apresentados os produtos que originavam a cerveja, o lúpulo e o malte, ouvimos atentamente a aula acompanhando o caminho do produto até seu ponto final…e haja sede. Chegamos ao fim da apresentação e nos foi servido diretamente do tonel um espetacular chopp pilsen cristal….yessssssss. Próximo passo foi a parada no lindo bar que se encontra à frente da fábrica, um singelo castelo alemão bem aconchegante.

A parte triste da história é que a maravilhosa cervejaria já foi comprada por uma empresa de maior porte, espero que não aconteça o que rolou com a Bohemia, vou torcer muito para que não mudem o produto. Falando em produto, eles fabricam somente chopp, por enquanto não pasteurizam para virar cerveja, não havendo engarrafamento então o unico lugar em que se pode apreciar a Schornstein é na própria região. Fabricam chopp Pilsen Cristal, Pilsen Natural do tipo lager, Bock mais encorpado com 7% de teor alcoólico e a Pale Ale de sabor mais frutado com 5% contra os costumeiros 4,5% de teor alcoólico dos pilsens normais.

As cervejas do tipo Pilsen harmoniam com peixes delicados, moluscos, crustáceos, comida japonesa, salsichas e saladas, além de serem ótima escolta aos queijos do tipo Brie, Camembert, Gruyère, Emmental, Appenzeller e o Chèvre. As do tipo Bock combinam com preparações mais vigorosas tipo goulash, assados de caça com molhos à base de vinho, carnes de porco e pimentas em geral, escoltam perfeitamente queijos defumados como o provolonee os marcantes Roquefort e Gorgonzola. Já a Pale Ale combina com assados bem temperados como o carneiro, salsichas e chucrute, queijos como o Parmesão, Grana Padano e Gouda. 

Continua amanhã…..