Um toque afrodisíaco no seu tempero

novembro 24, 2008

Lembra do alho? Aquele temperinho em formato de dente, branco, com cheiro fortíssimo e presente em todas as cozinhas. Além dos atributos de tempero ele esconde segredinhos afrodisíacos e já era utilizado a milhares de anos pelos gregos, egípcios, romanos, chineses e japoneses.

alho1

Essa hortaliça que é parente da cebola tem muitos benefícios medicinais entre eles reduzir o colesterol e a pressão arterial, tem ação germicida, combate às infecções, possui antioxidantes e por aí afora. Os médicos romanos utilizavam o alho para o tratamento de infecções intestinais, problemas digestivos e impotência.

Mas vamos ao que interessa, seus atributos afrodisíacos, experimente acrescentar mais alho naquela saladinha de entrada, um molhinho de alho junto com um “tira-gosto”, busque mais receitas leves e esbanje no alho.  Suas propriedades estimulantes ajudam contribui para um clima de sedução. E Fiquem ligados pois ainda darei aqui várias dicas com alho, por exemplo, como deixá-lo saboroso sem causar danos ao hálito.

Anúncios

Que tal um jantar afrodisíaco?

novembro 5, 2008

segurelha

Aqueles que me conhecem sabem que sou um apaixonado por tempero, e também sabem que adoro uma mistura picante e provocativa. Por isso, hoje vou falar da segurelha, tempero afrodisíaco, que comentei na salada italiana com cogumelos.

Essa erva aromática, que vem do mediterrâneo e passou a ser utilizada por romanos e gregos há mais ou menos 2 mil anos, é picante e afrodisíaca. Por isso, é utilizada para aprimorar receitas e agrada certamente aqueles que buscam um novo sabor.

Eu ainda recomendo a erva para os casais apaixonados que planejam um belo jantar seguido de um momento mais intimo. Aí vai a minha dica, a segurelha é conhecida por muitos como a erva da felicidade, pois exerce ação sobre as glândulas sexuais, além de ativar o apetite e contribuir com uma boa digestão.

Experimente dar uma temperada em pratos feitos com legumes, feijão, carnes e peixes, e de quebra uma apimentada no seu pós jantar e depois. Me contem se ela é poderosa ou não.

Dicas para quem quiser saber mais:

www.hortaemcasa.com.br

Livro: No rastro de Afrodite: plantas afrodisíacas e culinárias


Os primeiros sinais da gastronomia

outubro 7, 2008

A gastronomia, segundo o dicionário Melhoramentos, é a arte de cozinhar ou comer bem. Essa arte acompanha a evolução do homem nos hábitos e nos avanços tecnológicos. Vemos que o prazer de comer continua, mas o modo de preparar o alimento desde o abate de um animal, a preparação de uma massa e de um simples tempero, mudou muito. Hoje não se come como se comia há 100, 200 ou 1000 anos atrás.

Dizem os historiadores que a gastronomia começou na era paleolítica quando o homem desceu da árvore e começou a caçar com o objetivo de saciar a fome, sem se preocupar com o paladar.

Logo em seguida veio o fogo e o homem passou a assar a carne e descobriu um sabor diferente. Dizem até que o fogo é o primeiro tempero da gastronomia, pois ele altera o sabor dos alimentos conforme sua temperatura.

O homem saiu da caverna construiu sua casa, cultivou os frutos da terra, começou a armazenar os alimentos e deixou de comer apenas por necessidade e passou a comer por prazer.

Outro tempero importante foi o sal. Os homens observaram que os animais lambiam a pedra ardósia e aí passou a fazer a extração do sal na pedra e depois do mar.

Não demorou muito para explorar novas terras e descobrir novos sabores e temperos, dando inicio uma globalização gastronômica. Como diz um samba enredo da X-9 “Gastronomia hoje é carnaval”.


Brasil berço da miscigenação gastronomica

outubro 2, 2008

Uma vez por semana irei postar notas sobre cada cozinha internacional e suas peculiaridades.  Uma das questões sobre a culinária internacional é o que faz uma cozinha ser tão diferente da outra? Quais os temperos típicos de uma determinada região? O que define uma cultura? Enfim, a cultura gastronômica vista com outros olhos.
No Brasil temos o privilégio de uma miscigenação de cultura gastronômica muito grande. Um país que abraçou imigrantes de diversas regiões do mundo, que  trouxeram  costumes culinários de suas terra natal e adaptou para o clima brasileiro.
Ganhamos muito com isso, o resultado são os restaurantes com cardápios aprimorados, requintados e diversificados. Se formos num simples self-service para almoçar, encontramos como opção, um pouco da comida italiana, da árabe, da japonesa e os típicos pratos brasileiros, no qual sua composição tem dedo de imigrantes.
Cada receita retrata a tradição de um povo. Cada história sua curiosidade e seu tempero.